Posts Tagged :

YouTube

900 900 Daiana

Hambúrguer ruim, não! Canal Rango dá dicas para escolher o melhor

Fanáticos por hambúrguers: uni-vos! Quem não gosta de visitar uma cidade e conhecer a versão de seu prato preferido? Além do que, provar a culinária local também é uma maneira (a mais saborosa!) de conhecer a cultura da região. Aqui deixamos, através do Tadeu, especialista em hambúrgueres e comida bruta, do canal Rango, dicas de como comer bem olhando muito bem a quem!

 

Comer durante a viagem

 

Que arte magnífica, essa de saber se livrar de roubadas gastronômicas durante a viagem! Orçamento geralmente contado e muita expectativa por conhecer o melhor que há na região. Às vezes rola uma frustração, queremos comida de chef por R$10. O preço, no fim das contas, não pode ser o único critério durante a viagem, justamente porque o corpo está em movimento, dormindo pouco e precisa de muita energia. Então, o jeito é pesquisar e entender melhor se o que está diante dos seus olhinhos fará muito bem à sua barriguinha. Quem nunca, não é mesmo?

 

Conversei com o Tadeu, do canal Rango, do YouTube, sobre o seu projeto, receitas preferidas e pedi, claro, uma dica especial para me salvar de futuras roubadas.

 

A arte de encontrar comida boa

Ele realmente gosta de hambúrguer

O Rango é um dos principais canais do Brasil sobre hambúrguer, de gastronomia simples, de cozinha descomplicada. Por isso, a gente acaba se envolvendo muito com as pessoas, indo pra cozinha delas. Eu acho muito bacana isso, ter uma culinária simples ao ponto da vó conseguir fazer para o neto e do neto também fazer para a vó, essa é a maior brincadeira lá no canal Rango. Entre os nossos planos, tem essa ideia de expandir o canal, a gente quer dobrar a nossa programação. Hoje, a gente tem dois programas por semana, e a nossa ideia é que isso vire quatro programas por semana. Porque vemos a plataforma digital hoje como a nova mídia. O objetivo é produzir conteúdo pra quem realmente acompanha. A partir daí, começamos com workshop, aulas de hambúrguer e afins. Uma maneira de repassar a arte da comida boa e de colocar em prática nossos planos de estar mais próximo, fisicamente em contato, com o nosso público.

 

Buscar mais informações antes de viajar

Eu viajo, visito lugares, não fico preso a uma cozinha só, pelo contrário. Por isso, tenho na minha cabeça critérios que me orientam ao buscar informações antes de viajar. O primeiro critério é que eu vou nos lugares onde eu realmente gostaria de estar. Lá no Rango, ninguém nunca vai me ver em um local que eu não gosto. Porque a gente tem investimento, às vezes é convite, mas às vezes não, viagem internacional a gente vai do bolso, acreditando mesmo “esse vídeo vai dar certo, vamos lá fazer”. Então, a primeira coisa é essa, gostar da onde eu tô.

Pra escolher os lugares, eu costumo jogar primeiro pra minha base de fãs, eu vou lá pro Instagram “e aí, tô indo para Nova Iorque, o que que vocês querem ver?”, vem um monte de coisa, vem coisa boa e coisa ruim. Aí eu pego essa informação e vou na lista dos principais hambúrgueres de Nova Iorque, por exemplo. Junto uma coisa na outra, junto com o lugar onde eu quero estar e monto uma seleção. Porque ela precisa fazer sentido para o meu público primeiro, mas eu parto do princípio de que se eles já sabem quem eu sou, vão gostar de estar comigo lá. É assim, aonde eu gosto, aonde eles sugeriram, faço um roteiro e escolho os lugares onde vou visitar.

 

 

Na hora de a dar opinião

No Rango é tudo muito, muito de verdade. A gente não tem o costume de falar mal dos lugares, ou de criticar negativamente, porque eu parto do princípio que eu quero levar coisa boa pra quem tá assistindo. Então, invés de eu falar assim “não vai aqui, que aqui não é legal”, eu prefiro falar “vem nesse outro que aqui é bacana”. Já teve vezes de a gente de ir no lugar e decidir, “beleza, não vamos falar sobre ele”, a gente não publica o vídeo ou tenta arrumar alguma coisa. Já teve situação muito engraçada de a gente ir no restaurante e elogiar só a bebida haha. Porque é isso, eu tomo muito cuidado para a experiência ser sempre positiva. Porque se a pessoa já escolheu o lugar que ela vai, ela procura da internet e vai achar coisa boa e coisa ruim. A ideia da gente no Rango é construir as opções. É tipo “deixa eu ver os lugares que ele vai e se ele foi e é legal”. Toda hora passa pela cabeça fazer um ranking, mas a gente já tem tanto excesso de informação sobre pontos fracos e coisas ruins, então a gente sempre tenta mostrar os lugares legais. Se a gente vem pra Floripa, vai nos lugares legais, se vai pra Nova Iorque, vai nos lugares legais. Então, é um jeito da pessoa saber “quero saber um lugar bacana, então vou lá no Rango que ele mostra”.

 

O melhor hambúrguer é assim

Pra não comer hambúrguer ruim tem algumas coisas que a gente precisa prestar atenção. Hambúrguer é pra ser divertido, mas tem critérios básicos, por exemplo, o pão pra mim é 50% do hambúrguer. Então, se o cara já acertou o pão, já está meio caminho andado. A carne é outro critério. Ainda tem muita gente que pede carne bem passada.

A dica que fica é que vai no ponto que a hamburgueria costuma fazer, pede no ponto da casa. Isso porque o hamburgueiro quando cria o hambúrguer, ele pensa até na proporção de gordura que contém aquela carne.

Quando a gente pensa isso, pensa no hambúrguer no ponto certo. Pra acertar no seu pedido, não fica mudando muito o ponto do que a casa costuma fazer. E é isso, hambúrguer é pra ser divertido, é pra comer com a mão, procure um lugar que você goste, que tem um conceito bacana.

Hamburguer bom é pão, carne e queijo, não precisa inventando demais. E aí essa dica vale tanto pra quem tá indo comer quanto para as hamburguerias. Então assim, cuidado com seus produtos, usa uma carne legal, o pão é essencial que seja bom, que não esfarele, não desmanche na mão de quem tá comendo, então fica a dica. Vale para os dois, pra pessoa e para a hamburgueria. A minha receita preferida, por exemplo, é essa que eu fiz agora e que virou meu xodó, o bacon crush.

Gostou das dicas? Avalie o post e deixe seu comentário!