ESTILO DE VIDA

1024 582 Daiana

3 trilhas para quem adora se aventurar na natureza

Três percursos diferentes com algo de espetacular em comum: a exuberante natureza de Florianópolis. A ilha conta com muitos tipos de trilhas, para todos os níveis de condicionamento físico. A vegetação predominante na região é a mata atlântica, que mantém preservada espécies nativas de flores e animais.

Dentre as trilhas preferidas dos praticantes, três se destacam pela vista panorâmica e dificuldades durante o trajeto:

Morro das Aranhas

A RPPN Morro das Aranhas é administrada pelo resort Costão do Santinho, fica no final da praia do Santinho e dá acesso ao Parque do Rio Vermelho por alguns de seus trajetos. São 7 trilhas no local, com diferentes durações e inclinações. As preferidas são a subida até o topo do morro, a mais íngreme, e a volta ao morro, a mais longa.

A vista do topo do morro é privilegiada, podem ser apreciadas lá de cima a beleza da praia dos Ingleses, praia do Santinho e praia do Moçambique. Também é possível ver a formação de dunas do Parque do Rio Vermelho.

O percurso de subida apresenta uma inclinação 45º a 50º na maior parte do percurso e não apresenta maiores dificuldades. “É subir toda vida reto”, como dizemos por aqui. Durante a travessia, a dica é ficar atento à flora do lugar, a formação das raízes das árvores e aproveitar para desfrutar do contato com a natureza.

A duração total é em torno de 1h40min e a volta pode ser um pouco mais longa, já que descer exige um pouco mais de equilíbrio.

No topo do morro há pedras que servem de mirantes para bater fotos. O sinal de internet é bom e mesmo se estiver um dia ensolarado 90% do percurso é mata fechada, então o calor é controlado.

A trilha está bem aberta e demarcada, não há necessidade de guia.

Lagoinha do Leste

Diferente da trilha do Morro das Aranhas, a Lagoinha do Leste exige um preparo físico maior, mas já vi crianças completarem a trilha pelo Pântano do Sul sem problemas. A praia Lagoinha do Leste é um paraíso deserto em Floripa e pode ser acessada tanto pela trilha mais curta do Pântano do Sul, quanto pela mais longa pela praia do Matadeiro.

O plus é o Morro da Coroa, onde fica o mirante com a pedra mais badalada da cidade haha todo mundo que visita a praia sobe para fazer o registro. A vista é sensacional.

O trajeto mais curto, pelo Pântano do Sul, foi adaptado e hoje em dia mais parece uma escada com alguns trechos mais retos. As pedras facilitam o acesso para quem quer chegar mais rápido à praia. A duração é entorno de 1h30min.

Já pelo acesso da praia do Matadeiro, a vista é mais bonita, mas o percurso mais inclinado e com alguns trechos onde é preciso usar as mãos também. O bonito deste trajeto é quando se chega ao costão da praia, é possível ver as duas praias e o mar aberto, é incrível. As ondas batendo lá embaixo nas rochas é outro registro que fica na memória.

O preparo físico precisa estar bom para dar conta de mais de 2h30min de percurso.

Morro do Cambirela

O Morro do Cambirela possui três diferentes trajetos e está situado em um parque estadual no continente, perto da BR101, nas cercanias do município da Palhoça. Mas a vista do topo do morro, permite enxergar toda a silhueta sul da ilha de Florianópolis e alguns dos pequenos arquipélagos ao redor.

Contato do guia Kleber: +55(48)99937-6150

Esta trilha é a mais difícil da região de Floripa, porque apresenta inclinação de 90º em quase todo o trajeto, há 5 trechos de pequenas escaladas com auxílio de cordas e outros pontos mais com auxílio de pedras e raízes. Para quem realmente gosta de aventura, é a trilha mais indicada.

Diferente das duas trilhas anteriores, não é recomendada a subida e a descida sem um guia experiente e credenciado. Isso porque existem alguns caminhos diferentes abertos no morro e em determinados períodos do ano não se aconselha pelas chances de se deparar com cobras no meio do caminho.

 

 

 

 

768 1024 Daiana

Casa do Pedrinho: inspire-se no blog para criar o seu

Viajar em família é o hobbie mais gostoso, aproveitar a infância dos pequenos, criar memórias, brincar e conseguir relaxar são as coisas que mais motivam. O hábito de registrar em fotos e em redes sociais já está sacramentado. Mas e quando a pessoa é picada pelo gosto de escrever e decide empreender na internet, como é que faz? Faz um blog, ué! A Mônica, mãe do Pedro, do blog A Casa do Pedrinho, conta um pouco mais do seu projeto e dá dicas para quem tá começando. Leia!

 

Viajar com criança: a experiência da Mônica

Eu sou jornalista e sempre gostei de escrever. Quando tive filho, em 2011, eu só falava disso com as pessoas, pq eu estava fazendo várias descobertas como mãe de primeira viagem, então, resolvi dividir com outras mamães as dúvidas, as descobertas e as dicas, por achar que mães unidas podem aprender mais e fazer da maternidade algo mais leve, menos cansativo. Então, em 2012, surgiu meu blog. O meu público são as famílias com filhos.

Junto disso, sempre estiveram as viagens e o lazer, porque gosto muito de me divertir com o meu filhinho , então tudo que vivenciamos conto no blog, incentivando as famílias a aproveitarem mais os momentos juntos. E é isso o que me motiva muito a escrever no blog!

 

O Pedrinho da Mônica curtindo as férias em Floripa.

 

A minha vida mudou completamente quando virei mãe. Eu sempre fui muito de viajar e querer conhecer lugares. Eu tenho um espírito muito livre e aventureiro, e o meu sonho sempre foi de poder viajar muito.
Quando o Pedrinho nasceu esse sonho ganhou uma dose especial, porque apresentar a ele este mundão é extraordinário. Ter experiências novas, vivenciar culturas diferentes, se socializar, etc, traz muito aprendizado para vida..

 

Para poder acompanhar a minha vida materna, saí do meio corporativo onde trabalhei por 20 anos na área de comunicação e marketing, passando a trabalhar como home office, fazendo consultoria de marketing, criação de conteúdo, e me tornei colunista na revista Kids in.

 

Instagram @acasadopedrinho

Eu adoro escrever, e fazer o blog era um hobbie que se tornou um trabalho tb. Tenho prazer de dividir minhas experiências e poder ajudar as pessoas, para isso, conto com ajuda de especialistas na área da educação, psicologia e saúde para escrever os artigos que demandam informações de profissionais capacitados.

O meu outro sonho é escrever um livro e passar toda essa experiência que fui adquirindo com a maternidade e, quem sabe, ajudar as mamães de primeira viagem.

Muitas mamães me procuram querendo fazer um blog, então para as mamães que gostam de escrever, a principal dica é ter um tema, saber exatamente o que quer transmitir e quem quer atingir. Quando escrevemos sem foco, não conseguimos atingir nossos objetivos. Escreva com clareza e do seu jeito. O blog tem que ter a sua cara.

Dicas para quem quer começar

Comece! Simplesmente comece! Antes de pensar em como monetizar ou formar parcerias, pense principalmente para quem você quer escrever. Com isso, escolha uma roteiro e faça as malas.

  • Durante a viagem, faça fotos e pequenas notas (inclusive em áudio).
  • Escolha atividades que possam interessar a sua audiência, mas principalmente que você e sua família se divirtam muito, essas memórias são suas!
  • Organize sua viagem em capítulos, tente contar uma história, desde sua chegada ao destino até a despedida.
  • Comece o texto durante a viagem e publique assim que chegar.
  • Tenha atrelado ao blog ao menos uma conta no Instagram.
  • Divulgue seu blog em grupos de viagens e de famílias.
  • Não pare de viajar e nem de publicar!

Com o tempo, você vai pegando mais experiência e traquejo de escrita. Não precisa se jornalista nem um fenômeno literário, basta saber se comunicar com a sua audiência, se divertir e informar as pessoas. Sim! Você vai notar que se tratando de viagem, seu público vai querer saber todos os detalhes!

[kkstarratings]